Manual da saúde do cérebro para pessoas com Esclerose Múltipla

Compartilhe



Monitorização constante: a chave para o controle da Esclerose Múltipla

Monitorar a Esclerose Múltipla (EM) para acompanhar a eficácia do tratamento é a chave para otimizar a saúde do cérebro. Assim como os automóveis possuem planos para revisões regulares, os profissionais de saúde que cuidam do seu tratamento devem possuir um plano para acompanhar e monitorizar a sua EM e, também, registrar as informações obtidas sobre você e sua doença em um prontuário para que possam discutir com você a sua evloução.

Recidivas e progressão da incapacidade indicam atividade da doença, e você pode tomar uma atitude positiva ao ajudar a monitorá-las. Pode ser útil fazer um diário da EM no qual você registre fatos que afetem a sua saúde e o seu bem-estar - por exemplo, os sintomas notados, em qual parte e lado do corpo eles manifestaram-se; o surgimento de outras doenças; alterações de humor.

Toda EM em atividade danifica o tecido do cérebro e o da medula espinhal, por mais que isso não gere uma recaída imediata.

Existem evidências de que as lesões (áreas de dano agudo) e a perda de tecido cerebral predizem recidivas e progressão da incapacidade. A ressonância magnética deve, portanto, ser usada para evidenciar novas lesões.

A monitorização regular da atividade da EM pode alertar precocemente se a doença está ou não respondendo bem ao tratamento. O tempo correto é crucial, a evidência de que a atividade da EM é mal controlada deve levar a uma discussão a respeito da possibilidade de se mudar a estratégia de tratamento.

 

Referência Bibliográfica:

© 2016 Oxford PharmaGenesis Ltd. Brain health: a guide for people with multiple sclerosis is licensed under the Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.To view a copy of this license, visit http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/.