Cuidados

Compartilhe

Uso e auto-percepção relatada dos benefícios da medicina alternativa em pacientes com esclerose múltipla


A percepção dos portadores de esclerose múltipla quanto a possíveis benefícios de vários tipos de terapia complementar e medicina alternativa foi analisada através de questionário respondido por mais de 2000 portadores nos Estados Unidos, em 2006.

A grande maioria dos portadores (84%) usava uma ou mais formas de tratamento alternativo. As dietas são as formas alternativas preferenciais (59%), principalmente as de baixa caloria, macrobióticas, vegetarianas, hiperprotéicas, dietas sem gordura ou sem carne. Complementos nutricionais são usados por quase metade dos pacientes, principalmente o óleo de fígado de bacalhau, óleo de peixe, óleo de prímula, ácidos graxos essenciais, soja, melatonina, carnitina, beta-caroteno, magnésio, ácido lipóico, coenzima Q10, 5-hidroxitriptofano, vitaminas do complexo B, vitaminas B12, C, vitamina E e selênio. Cerca de um terço dos portadores respondeu que fazia uso de plantas medicinais como ervas chinesas, ginseng, gingko biloba, kawa-kawa, valeriana, erva de São João e flavonóides. Terapias mente-corpo como meditação, hipnose, biofeed-back, e yoga eram praticadas por 32% dos pacientes.

Em geral, as terapias complementares e a medicina alternativa foram considerados pelos pacientes como muito benéficos. As formas consideradas como as mais vantajosas foram a yoga, a meditação, as dietas vegetarianas, as dietas de baixa caloria, as dietas pobres em colesterol, e os suplementos alimentares com vitamina B12. Cerca de três quartos dos entrevistados também utilizavam exercícios físicos e medicamentos convencionais para a doença.

Outro estudo semelhante foi realizado na Alemanha e publicado pela Revista Multiple Sclerosis em 2008. Cerca de 70% dos portadores de esclerose múltipla afirmaram ter feito uso de medicina alternativa ou complementar, pelo menos uma vez no decorrer da doença. As dietas e a homeopatia foram as formas alternativas mais frequentemente usadas pelos portadores. A grande maioria dos entrevistados (69%) estava satisfeita com os efeitos da medicina complementar e alternativa. Interessantemente foi observada uma associação entre o uso da medicina alternativa e a religiosidade.

Nesse estudo, concluiu-se que as principais razões para o uso de terapia alternativa foi o baixo nível de satisfação dos portadores de esclerose múltipla com terapias convencionais e seu alto índice de efeitos colaterais, comparado com as terapias alternativas. Outra importante razão alegada pelos portadores é a pouca atenção e o breve tempo de consulta com o médico especialista em esclerose múltipla.

Comentário de Dra. Cristiane Franklin Rocha, Médica Neurologista do CIEM

A esclerose múltipla é uma doença inflamatória e degenerativa onde vários fatores
estão implicados no aparecimento e evolução da doença. Evidências científicas recentes sugerem que a dieta pode exercer um importante papel no desencadeamento e curso da doença. No entanto os dados disponíveis são ainda muito limitados não permitindo uma análise e conclusões definitivas.

Os dois estudos acima demonstram que os tratamentos alternativos são muito populares entre os portadores de esclerose múltipla. Este achado é esperado em razão da cronicidade da doença e das grandes lacunas existentes na sua compreensão.

É preciso abordar as práticas alternativas com cautela e espírito crítico pois não há qualquer evidência clínica, cientificamente comprovada, do benefício de qualquer uma destas formas no tratamento da esclerose múltipla. A utilização dos medicamentos convencionais é a prática usual recomendada, cientificamente fundamentada, que traz benefícios no controle da doença.

O emprego de medicamentos convencionais, no entanto, não exclui outras modalidades de tratamento. No CIEM, o tratamento da esclerose múltipla é multidisciplinar, procurando atender as necessidades individuais de cada portador. Durante as consultas os profissionais do CIEM discutem detalhadamente com os portadores e familiares os melhores cuidados que devem ser prestados.

 

Fontes:

Use and Self-Reported Benefit of Complementary and Alternative Medicine among Multiple Sclerosis Patients
Vijayshree Yadav, Lynne Shinto, Cynthia Morris, Angela Senders,Sara Baldauf-Wagner, Dennis Bourdette
International Journal of MS care.2006; 8 (2):5-10
Complementary and alternative medicine for multiple sclerosis.
Schwarz S, Knorr C, Geiger H, Flachenecker P.
Mult Scler. 2008 Sep;14(8):1113-9. Epub 2008 Jul 16.